/ NOTÍCIAS / Pesquisa realizada por aluna do IFPR Campus União da Vitória leva primeiro lugar na área de Ciências Humanas, no IV Ficiencias

Pesquisa realizada por aluna do IFPR Campus União da Vitória leva primeiro lugar na área de Ciências Humanas, no IV Ficiencias

Publicado em

Filha e neta de ferroviários, Aline Bueno pretende com seu trabalho resgatar a importância da estrada de ferro para a história da região
O trabalho intitulado 1905: quando trilhos foram mais que caminhos, da aluna Aline Bueno, do Campus União da Vitória do Instituto Federal do Paraná (IFPR),  conquistou o  primeiro lugar da área de Ciências Humanas, na IV Feira de Inovação das Ciências e Engenharias (Ficiencia), realizada de 10 a 13 de novembro, no Polo Tecnológico Itaipu (PTI), em Foz do Iguaçu.

Aline está no primeiro ano do Curso Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio, e  vem desenvolvendo sua pesquisa, sob a orientação do professor de História, Vitor Marcos Gregório. O objetivo do trabalho é mostrar a importância da ferrovia para toda região de União da Vitória, Paraná, e Porto União, Santa Catarina, do ponto de vista econômico e cultural. Conhecidas como cidades gêmeas, são separadas somente pelos trilhos do trem, que em vários lugares já nem existem mais.

No início do século 20, foi graças aos trilhos, União da Vitória foi a segunda cidade do Paraná a ter energia elétrica. Hotéis, restaurantes, cinemas, lojas, e duas estações de trem chegaram a funcionar a todo vapor, para dar conta das demandas da região, que se tornou um importante entroncamento ferroviário. A pesquisa apresenta uma análise dos impactos da implantação da estrada de ferro São Paulo-Rio Grande, nas cidades gêmeas, comparando o auge do desenvolvimento na época dos trilhos à atual desvalorização do seu patrimônio. “Meu avô e meu pai eram ferroviários, então só aumentou a minha vontade de conhecer a história de onde moro e valorizar isso. A ideia é mostrar pras pessoas o lado positivo da cidade e deixar essa história não se perder para as próximas gerações”, diz Aline.

Premiação

O Campus União da Vitória, cujo bloco administrativo ainda nem foi inaugurado, já trouxe para casa esse resultado positivo, demonstrando seu potencial. Segundo o professor Vitor, esse é o reconhecimento do trabalho da aluna, que “deu um show de apresentação”. O professor pretende incentivar ainda mais os alunos à pesquisarem, e no ano que vem acompanhar um número maior de pesquisas no evento. “Mais que um prêmio, a participação nesse evento internacional foi uma oportunidade única de intercâmbio cultural para a aluna, com estudantes e professores da Argentina, do Paraguai e do Uruguai”, avalia.

A pesquisa de Aline foi apresentada duas vezes antes de ir ao Ficiencias. A primeira vez foi durante a 1ª Mostra de Inovação, Pesquisa, Ensino e Extensão (Mipeec) do Campus União da Vitória, realizada nos dias 28 e 29 de agosto, e a segunda vez, no IV Seminário de Extensão, Ensino, Pesquisa e Inovação (Se2pin) do IFPR, realizado de 19 a 22 de outubro, em Paranaguá.

Para o professor Vitor, que é de São Paulo, e há menos de um ano vive em União da Vitória, o município está se mostrando um centro de excelência em Ciências Humanas. “Nessa cidade os jovens se preocupam com a história. O município se destaca, pois o primeiro e o segundo lugares na área de Ciências Humanas no Ficiencias foram para escolas de União da Vitória”, analisa.

O Pró-Reitor de Extensão, Pesquisa e Inovação, Ezequiel Burkarter, destacou a maturidade dos trabalhos apresentados pelo IFPR, e relaciona isso às ações de incentivo à pesquisa e inovação apoiadas pela Instituição. Para esta edição, o IFPR teve recorde de trabalhos aceitos, com 28 projetos.

Ficiencias

A Ficiencias é um espaço para estudantes apresentarem ideias criativas e inovadoras com intuito de contribuir com a evolução no mundo das ciências. É também um local de integração e troca de experiências que aproxima estudantes e professores do Ensino Fundamental, Médio e Superior do Paraná – Brasil; Alto Paraná, Canindeyu e Caaguazú – Paraguai; e a Província de Missiones – Argentina. A feira visa ainda promover a cultura científica, a experimentação, a disseminação e a popularização do método científico. Ao término do evento, as melhores pesquisas são premiadas e podem receber o acompanhamento de um professor de nível superior para continuar seus projetos. Assim, a Ficiencias pretende estimular, incentivar e valorizar os talentos em todas as áreas do conhecimento.

Anualmente, a Feira é realizada no Parque Tecnológico de Itaipu (PTI), em Foz do Iguaçu, localizada na região Oeste do Paraná, divisa do Brasil com o Paraguai e a Argentina. Podem participar do evento, estudantes do ensino fundamental, médio e técnico, com projetos de pesquisa, professores, instituições de ensino, comunidade em geral e voluntários.

Ao todo, mais de 140 trabalhos, em sete áreas do conhecimento, foram apresentados este ano: Ciências Exatas e da Terra: 26; Biológicas: 25; Saúde: 19; Humanas: 24; Agrárias: 23; Engenharias: 22; Sociais Aplicadas: 7.

Av. Paula Freitas, 2800,  Bairro São Braz – CEP 84603-264 – União da Vitória – PR

Topo